top of page

Conheça o Tucunaré Cichla melaniae: o lendário peixe do Xingu

Atualizado: 23 de jun. de 2023

Publicidade

Tucunaré do Xingu: descubra tudo sobre o Cichla melaniae

Tucunaré Cichla melaniae. Fonte: @thomascavote (instagram)
Tucunaré Cichla melaniae (Tucunaré do Xingu)

O tucunaré Cichla melaniae é um peixe de água doce da família Cichlidae, que pode ser encontrado na bacia Amazônica. Essa espécie de tucunaré é altamente valorizada pelos pescadores esportivos devido à sua resistência, agilidade durante a pesca, sua coloração vibrante e marcante. Neste post, iremos explorar mais detalhadamente alguns aspectos do tucunaré C. melaniae.


DIAGNOSE: DESCRIÇÃO E CARACTERÍSTICAS FÍSICAS


Forma:


O tucunaré C. melaniae é um peixe robusto e musculoso, com um corpo fusiforme e uma cabeça grande. Sua boca é larga e a mandíbula inferior é proeminente, o que permite uma rápida e forte sucção da presa. Além disso, o C. melaniae possui uma excelente visão, o que o ajuda a detectar a presença de suas presas.


Publicidade


Sua forma física é adaptada para capturar suas presas de forma rápida e eficiente. Ele possui um corpo hidrodinâmico, que lhe permite nadar rapidamente, com uma grande capacidade de aceleração. Sua musculatura é altamente desenvolvida, especialmente em suas nadadeiras peitorais e caudais, o que lhe permite manobrar facilmente em áreas com muita vegetação.


Coloração:


O tucunaré C. melaniae é um peixe de coloração marcante e vibrante, com variações de tons que dependem de diversos fatores, como ambiente e alimentação. Sua coloração varia de acordo com o ambiente em que vive, podendo ser verde-oliva a marrom-avermelhado, dourado ou acinzentado, com manchas escuras nas laterais do corpo que podem ser redondas ou alongadas.


As nadadeiras dorsal, anal e caudal possuem manchas escuras e amareladas. Outro traço comum é a mancha arredondada perto da cauda, conhecida como ocelo. Sua cor é de um amarelo intenso e ele é todo pontilhado de pintas pretas, inclusive na faixa longitudinal.


A coloração vibrante do tucunaré C. melaniae é uma característica importante para a sua sobrevivência, pois permite que ele se camufle com o ambiente ao seu redor e se proteja de predadores e também para atração de parceiros para reprodução. A coloração vibrante é uma adaptação evolutiva que permite que o peixe se misture ao ambiente ao seu redor, tornando-se menos visível para seus predadores e aumentando suas chances de sobrevivência.


Tamanho e Peso:


O tucunaré C. melaniae pode crescer até cerca de 45 centímetros de comprimento total, mas normalmente é encontrado com comprimentos de cerca de 20 a 29 centímetros. As fêmeas tendem a ser maiores do que os machos, podendo atingir até 60 % do tamanho das fêmeas. A taxa de crescimento do tucunaré C. melaniae pode variar dependendo de vários fatores, como alimentação, habitat e temperatura da água.


O peso do tucunaré C. melaniae pode variar significativamente de acordo com o tamanho e as condições de vida do peixe. Em geral, os machos tendem a ser mais leves do que as fêmeas. O peso médio do tucunaré C. melaniae adulto é de cerca de 1 a 2 kg, mas alguns exemplares podem atingir até 4 kg ou mais.


TAXONOMIA E NOMES


Taxonomia:


Nome cientifico: Cichla melaniae

Reino: Animalia O tucunaré C. melaniae pertence ao reino Animalia, que inclui todos os seres vivos multicelulares que possuem células eucarióticas e se alimentam de outros organismos ou de matéria orgânica.

Filo: Chordata Dentro do reino Animalia, o tucunaré C. melaniae pertence ao filo Chordata, que inclui todos os animais com notocorda, uma estrutura de suporte dorsal, que no caso dos peixes é substituída pela coluna vertebral.

Classe: Actinopterygii O tucunaré C. melaniae pertence à classe Actinopterygii, que inclui todos os peixes com nadadeiras raiadas, como a maioria dos peixes que conhecemos.

Ordem: Perciformes Dentro da classe Actinopterygii, o tucunaré C. melaniae pertence à ordem Perciformes, que inclui mais de 10.000 espécies de peixes, como o bacalhau, o robalo e a anchova.

Família: Cichlidae O tucunaré C. melaniae pertence à família Cichlidae, que é composta por cerca de 1.900 espécies de peixes de água doce, distribuídas em todo o mundo. Os membros desta família são conhecidos por sua variedade de formas e tamanhos, bem como por sua capacidade de se adaptar a diferentes ambientes.

Gênero: Cichla O tucunaré C. melaniae pertence ao gênero Cichla, que é composto por cerca de 15 espécies de peixes, todos encontrados na América do Sul. Os membros deste gênero são conhecidos como tucunarés, e são altamente valorizados pelos pescadores esportivos por sua força e habilidade de luta.


Publicidade

Espécie: Cichla melaniae Finalmente, o tucunaré C. melaniae é uma espécie específica de tucunaré, encontrada em rios e lagos na bacia amazônica. Esta espécie foi descrita pela primeira vez em 2013, por S. O. Kullander e H. N. Espírito-Santo, com base em espécimes coletados no Rio Negro, próximo à cidade de Santa Isabel do Rio Negro, no estado do Amazonas, no Brasil.

Nomes:


O tucunaré Cichla melaniae, como muitas outras espécies de peixes, possui vários nomes populares em diferentes regiões do Brasil e em outros países da América do Sul. Os nomes mais comuns usados para se referir a essa espécie são:


Tucunaré melaniae este é o nome mais comum usado para se referir ao Cichla melaniae. "Tucunaré" é um nome genérico para várias espécies do gênero Cichla, enquanto "melaniae" refere-se à espécie específica.


Tucunaré azul O Cichla melaniae possui uma coloração azulada em suas nadadeiras e partes do corpo, o que lhe rende o apelido de "tucunaré azul" em algumas regiões.


HABITAT E DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA


Habitat:


O Tucunaré Cichla melaniae prefere águas rápidas, claras, bem oxigenadas e rasas com fundo rochoso ou arenoso, e é encontrado principalmente em rios e lagos. Eles tendem a se mover em águas mais rasas durante o período de alimentação, e se mudam para águas mais profundas durante a época de reprodução.


Distribuição Geográfica:


O Tucunaré Cichla melaniae pode ser encontrado na América do Sul na bacia Amazônica, especificamente no rio Xingu (daí o nome).


ALIMENTAÇÃO E COMPORTAMENTO


Alimentação:


O Tucunaré Cichla melaniae é um peixe predador voraz que se alimenta principalmente de pequenos peixes, crustáceos e insetos aquáticos. Sua dieta pode variar de acordo com a disponibilidade de alimentos em seu habitat natural, mas em geral, eles são animais com hábitos alimentares bastante específicos.


Na fase jovem, o Tucunaré Cichla melaniae se alimenta principalmente de pequenos crustáceos e insetos aquáticos, como camarões, caramujos, besouros d'água, libélulas e mosquitos. Conforme crescem, eles começam a se alimentar de pequenos peixes, como lambaris e outros alevinos.


Publicidade


Na fase adulta, o Tucunaré Cichla melaniae se torna um predador ainda mais voraz, alimentando-se de peixes maiores, como traíras, matrinxãs, curimatãs e outros peixes de tamanho similar ou menor. Eles usam sua habilidade de camuflagem e velocidade para emboscar suas presas, tornando-se excelentes caçadores.


Vale lembrar que a alimentação do Tucunaré Cichla melaniae pode ser influenciada por fatores ambientais, como a disponibilidade de alimento em seu habitat e a temperatura da água.


Comportamento:


O Tucunaré Cichla melaniae é um peixe solitário e territorial, especialmente durante a época de reprodução. Eles são altamente agressivos com outros peixes que entram em seu território e podem atacar animais muito maiores que eles próprios. É comum que esses peixes cavem buracos no fundo do rio para criar uma área segura para si mesmos.


REPRODUÇÃO


A reprodução do Tucunaré Cichla melaniae é um processo importante na vida deste peixe de água doce. A seguir, detalhamos os principais aspectos do processo reprodutivo desta espécie:


Maturidade Sexual:


O Tucunaré Cichla melaniae atinge a maturidade sexual em cerca de dois anos, quando atingem um tamanho de aproximadamente 20 a 25 centímetros. A partir daí, os peixes são capazes de reproduzir.


Época de Reprodução:


A época de reprodução do Tucunaré Cichla melaniae ocorre durante a estação chuvosa, que varia em diferentes regiões onde eles habitam. Neste período, as condições de água e temperatura são ideais para a reprodução.


Publicidade


Comportamento de Acasalamento:


Durante a época de reprodução, os machos e as fêmeas se reúnem em grupos próximos a áreas de desova. O macho começa a cortejar a fêmea, nadando ao redor dela e exibindo suas barbatanas e cores brilhantes. Quando a fêmea está pronta para acasalar, ela permite que o macho se aproxime dela e ambos se enroscam em uma dança nupcial.


Desova e Incubação:


O Tucunaré C. melaniae é um peixe que deposita ovos. O casal seleciona um local adequado para a desova e construção do ninho para o prole, geralmente em áreas com pedras, plantas aquáticas, espraiadas ou remansos. A fêmea libera seus ovos, que aderem às superfícies do substrato. O macho fertiliza os ovos com seu esperma e depois os protege de predadores e correntes fortes. O tempo de incubação dos ovos varia entre 2 a 4 dias.


Cuidado Parental:


O macho é responsável por proteger os ovos e alevinos. Ele mantém uma vigilância constante sobre o ninho, afastando predadores e mantendo os ovos limpos e oxigenados. Quando os ovos eclodem, o macho continua a proteger os alevinos até que eles se tornem independentes e possam se alimentar sozinhos.


AMEAÇA DE EXTINÇÃO


Perda de Habitat:


A principal causa da ameaça de extinção do Tucunaré Cichla melaniae é a perda de habitat. O desmatamento e a urbanização das áreas próximas aos rios amazônicos estão levando à degradação e destruição de seus habitats naturais, o que afeta diretamente a sobrevivência da espécie.


Sobrepesca:


O Tucunaré Cichla melaniae é uma espécie muito apreciada por pescadores esportivos e comerciais, o que tem levado a uma sobrepesca da espécie. A pesca excessiva pode levar à diminuição da população, prejudicando a reprodução e aumentando o risco de extinção.


Introdução de Espécies Exóticas:


A introdução de espécies exóticas, como o Tucunaré-Açu, pode competir diretamente com o Tucunaré Cichla melaniae pelo alimento e habitat, colocando em risco a sobrevivência da espécie.


Poluição:


A poluição dos rios amazônicos também representa uma ameaça significativa para o Tucunaré Cichla melaniae. A contaminação por produtos químicos e metais pesados pode afetar a saúde e a reprodução dos peixes.


CONSERVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE


A conservação e sustentabilidade do Tucunaré Cichla melaniae é de extrema importância para a preservação da biodiversidade da bacia amazônica e para a manutenção das comunidades que dependem dos recursos naturais da região. Abaixo, estão algumas medidas que podem ser adotadas para garantir a conservação e sustentabilidade da espécie:


Regulamentação da pesca:


A pesca do Tucunaré Cichla melaniae deve ser regulamentada e fiscalizada para evitar a sobrepesca e garantir a reprodução e a renovação da população. É importante que as práticas de pesca sejam sustentáveis, de forma que a pesca possa continuar a ser uma fonte de alimento e renda para as comunidades locais.


Proteção dos habitats naturais:


É fundamental proteger os habitats naturais do Tucunaré Cichla melaniae, que estão ameaçados pela urbanização, desmatamento, mineração, agricultura e outras atividades humanas. A proteção desses habitats inclui a criação de unidades de conservação, o manejo florestal sustentável, a restauração de áreas degradadas e a implementação de práticas agrícolas e pecuárias sustentáveis.


Publicidade


Combate à introdução de espécies exóticas:


A introdução de espécies exóticas é uma das principais ameaças ao Tucunaré Cichla melaniae. Portanto, é importante combater a introdução de espécies exóticas na região, promovendo o controle de animais de estimação exóticos, fiscalizando o comércio de espécies invasoras e incentivando o consumo de espécies nativas.


Redução da poluição:


A poluição dos rios amazônicos é outra ameaça à sobrevivência do Tucunaré Cichla melaniae. A redução da poluição pode ser alcançada através da implementação de políticas de tratamento de esgoto e de resíduos sólidos, da fiscalização de indústrias e empresas que geram poluição, e da conscientização da população sobre a importância de se reduzir o uso de plásticos e outros materiais poluentes.


Educação e conscientização:


A educação e conscientização são essenciais para a conservação e sustentabilidade do Tucunaré Cichla melaniae e outras espécies da bacia amazônica. É importante promover a conscientização da população sobre a importância da conservação da biodiversidade, dos ecossistemas e dos recursos naturais, bem como sobre as práticas sustentáveis ​​de pesca, agricultura e pecuária.


A conservação e sustentabilidade do Tucunaré Cichla melaniae requer a cooperação e o comprometimento de governos, organizações não governamentais, cientistas, pescadores e comunidades locais. A implementação de medidas sustentáveis ​​para proteger a espécie também ajudará a garantir a segurança alimentar, a saúde e a prosperidade das comunidades locais que dependem dos recursos naturais da bacia amazônica.


ONDE ENCONTRÁ-LO


O Tucunaré C. melaniae é uma espécie de peixe nativa da bacia amazônica, sendo encontrado especificamente no baixo e alto rio Xingu.


IMPORTÂNCIA ECONÔMICA


O Tucunaré C. melaniae é um peixe que tem uma grande importância econômica para a pesca esportiva e comercial na região. Este peixe é muito procurado pelos pescadores esportivos, que buscam a sua força e beleza para uma pesca de lazer. Além disso, o Tucunaré C. melaniae também é muito apreciado por sua carne, o que o torna um importante recurso para a pesca comercial na região.


A pesca do Tucunaré C. melaniae é uma atividade importante para a economia local, gerando empregos diretos e indiretos em diversas etapas do processo produtivo, desde a pesca até a comercialização do peixe. A venda deste peixe também é um importante meio de subsistência para muitas comunidades ribeirinhas.


No entanto, é importante lembrar que a pesca excessiva e a falta de regulamentação podem levar à diminuição da população de Tucunaré C. melaniae e prejudicar a sua importância econômica e ecológica na região. Por isso, é fundamental que a pesca seja realizada de forma sustentável, respeitando as leis e os limites de captura estabelecidos pelos órgãos competentes.


GASTRONOMIA: COMO A ESPÉCIE É UTILIZADA NA CULINÁRIA?


A carne do tucunaré Cichla melaniae é branca e firme, com um sabor suave e delicado que lembra o do robalo. É uma carne magra e saudável, rica em proteínas e baixa em gordura, tornando-a uma excelente opção para quem busca uma alimentação saudável.

Uma das formas mais populares de preparar o tucunaré C. melaniae é fritá-lo. Para isso, basta cortar o peixe em filés e temperá-lo com sal, pimenta e suco de limão. Em seguida, passe os filés na farinha de trigo e frite em óleo quente até dourar. Sirva com arroz branco, feijão e salada.


Publicidade

Outra receita popular é o tucunaré assado na brasa. Para preparar este prato, é preciso limpar o peixe e temperá-lo com sal, pimenta, alho e suco de limão. Em seguida, coloque o peixe na grelha e asse em fogo médio até que esteja cozido por dentro e crocante por fora. Sirva com legumes grelhados, farinha e uma salada de folhas verdes.

Outra opção é preparar um ensopado de tucunaré. Para isso, você precisa cortar o peixe em pedaços e refogar com cebola, alho e tomate em uma panela com um pouco de óleo. Adicione água e deixe cozinhar por cerca de 30 minutos. Em seguida, adicione batata, cenoura e outros legumes de sua preferência e deixe cozinhar por mais alguns minutos até que os legumes estejam macios. Finalize com salsinha e coentro picados e sirva com arroz branco.


DICAS PARA PESCAR


O tucunaré C. melaniae é uma espécie de peixe muito apreciada pelos pescadores, tanto pela sua beleza quanto pelo seu sabor. No entanto, para ter sucesso na pesca deste peixe, é preciso ter algumas dicas em mente. Neste post, discutiremos algumas dicas úteis para pescar tucunaré C. melaniae.


Conheça o comportamento do peixe:


O tucunaré C. melaniae é um peixe territorial e agressivo, que ataca com voracidade iscas que invadem o seu território. Portanto, é importante conhecer o comportamento do peixe para escolher a melhor isca e técnica de pesca.


Escolha a isca certa:


O tucunaré C. melaniae é um peixe predador que se alimenta principalmente de pequenos peixes, crustáceos e insetos. Por isso, iscas artificiais que imitam esses alimentos, como jigs, plugs e spinners, são as mais indicadas para a pesca deste peixe.


Utilize a técnica correta:


Além de escolher a isca certa, é importante utilizar a técnica correta para atrair o tucunaré C. melaniae. Iscas artificiais de superfície, como iscas de hélice, poppers, zaras e as que nadam em ziguezague. são ideais para pescar em águas rasas e próximas à vegetação. Já iscas de meia-água e fundo, como jigs e plugs, são mais indicadas para pescar em águas profundas e mais afastadas da costa.


Para iniciar a pesca de tucunaré, é recomendado utilizar iscas artificiais de superfície, como as de hélice e as que nadam em ziguezague. Se não obtiver sucesso, tente usar iscas de meia-água, também nos mesmos locais, com um recolhimento errático intercalado com rápidas paradas. Caso a isca seja perseguida pelo peixe, continue recolhendo a linha e mantenha o movimento da isca. É comum o ataque ocorrer a menos de um metro do pescador.


Preste atenção ao clima e à época do ano:


O clima e a época do ano podem influenciar diretamente na atividade do tucunaré C. melaniae. Em dias quentes e ensolarados, o peixe costuma estar mais ativo e se alimentar com mais frequência. Já em dias frios e nublados, o peixe pode ficar mais inativo e difícil de ser pescado. Além disso, a época de reprodução do tucunaré, que ocorre entre agosto e dezembro, pode afetar a sua atividade e comportamento.


Escolha o equipamento adequado:


Para pescar o tucunaré C. melaniae, é preciso escolher um equipamento adequado que suporte a força e a agressividade do peixe. Varas de ação média a pesada, carretilhas com boa capacidade de linha e anzóis resistentes são alguns dos itens essenciais para a pesca deste peixe.


Na região da Amazônia, é recomendado o uso de varas de ação média-pesada, com tamanhos de cinco, seis ou sete pés, para linhas de 24 a 40 libras. Para outras regiões e espécies, equipamentos para linhas de 20 libras são suficientes. Ao pescar em represas, é aconselhável procurar por plantas aquáticas, materiais flutuantes ou pauleiras, pois são locais onde o tucunaré costuma ficar em busca de presas ou cuidando da prole.


Respeite as leis de pesca:


Por fim, é importante lembrar que a pesca do tucunaré C. melaniae está sujeita a regulamentações e leis específicas. Antes de sair para pescar, verifique as regras e limites estabelecidos pelos órgãos competentes e respeite o meio ambiente e a biodiversidade local.


Você é um pescador esportivo apaixonado pelo desafio de capturar o Tucunaré Cichla melaniae?


Então você sabe que para ter sucesso na pesca desse peixe lendário, é necessário contar com os melhores equipamentos e acessórios de pesca. Desde as iscas e anzóis até as varas e carretilhas, cada detalhe faz a diferença na hora de enfrentar o Tucunaré Cichla melaniae. Por isso, selecionamos alguns acessórios de pesca que vão ajudar a tornar sua experiência na água ainda mais divertida e bem-sucedida. Clique aqui.


Publicidade


Não deixe de deixar seu comentário abaixo para nos contar se estas informações foram úteis para você.


Referências


TUCUNARÉ-DO-XINGU: Cichla melaniae. Terra da Gente (G1). 2015. Disponível em: <https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/terra-da-gente/fauna/noticia/2015/02/tucunare-do-xingu.html>. Acesso em: 23 mar. 2023.


ROBERTO CONTI: Conheça Todas suas Espécies. Cuca Pesca. Disponível em: <https://www.cucapesca.com/post/tucunar%C3%A9-conhe%C3%A7a-todas-suas-esp%C3%A9cies>. Acesso em: 23 mar. 2023.


586 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo