top of page

Conheça a Espécie de Tucunaré Cichla Piquiti: Tudo o que Você Precisa Saber Sobre o Tucunaré Azul

Atualizado: 23 de jun.


Introdução ao Tucunaré Piquiti: Diagnose, Características, Habitat, Alimentação, Comportamento, Reprodução, Importância Econômica, Gastronomia e Muito Mais!


Tucunaré Azul - Cichla Piquiti
Tucunaré Azul - Cichla Piquiti. Fonte @borgespescaesportiva (Instagram)

TUCUNARÉ AZUL - CICHLA PIQUITI


Você é um entusiasta da pesca esportiva e está sempre em busca de novas aventuras? Então você não pode deixar de conhecer o Tucunaré Piquiti ou Tucunaré Azul, um dos peixes mais cobiçados pelos pescadores em todo o Brasil. Com sua aparência exótica e habilidades de pesca desafiadoras, este peixe tem conquistado cada vez mais adeptos na modalidade esportiva.


Publicidade


Neste artigo, vamos falar mais sobre o Tucunaré Piquiti e suas:

 

Sumário - Clique no tópico desejado

 

Venha conosco nessa jornada pela biodiversidade ictiofauna brasileira e descubra o que torna esse peixe tão especial. Com esses tópicos, esperamos fornecer informações valiosas para quem deseja conhecer mais sobre o Tucunaré Piquiti e também para aqueles que desejam colaborar para a conservação dessa espécie e seus habitats naturais.


Diagnose: Descrição e Características Físicas


O Tucunaré Piquiti pertence a Família: Cichlidae (Ciclídeos), Ordem: Perciformes, sua expectativa de vida é cerca de 7 a 10 anos, possui características físicas únicas e distintivas que a tornam facilmente reconhecível. Esta espécie tem um corpo robusto e alongado, com uma cabeça grande e mandíbulas fortes. Sua coloração varia do verde-oliva ao azul escuro nas costas (barbatanas) e flancos, com manchas cinzas em forma de ferradura e listras horizontais brancas ao longo do corpo. Essas marcas podem ser mais ou menos intensas, dependendo da idade do peixe e da região em que é encontrado.


Publicidade


Os machos costumam ter cores mais vibrantes e marcantes, especialmente durante a época de reprodução. Já as fêmeas apresentam tons mais suaves e discretos. Além disso, o Tucunaré Piquiti possui nadadeiras dorsais e anais altas e pontiagudas, que ajudam a diferenciá-lo de outras espécies de Tucunaré. Suas nadadeiras são azuladas, com exceção do lóbulo inferior da nadadeira caudal. Outra característica é a mancha arredondada perto da cauda, conhecida como ocelo.


Tamanho e peso


O tamanho médio do Tucunaré Piquiti macho é de 30 a 40 cm, enquanto as fêmeas não passam dos 38,5 cm, mas ele pode atingir até 6 kg de peso e 60 cm de comprimento. É importante ressaltar que, como em muitas espécies de peixes, o tamanho e a coloração do Tucunaré Piquiti podem variar bastante de acordo com a idade, alimentação e ambiente em que vive.


Nomes Populares


O Tucunaré Piquiti, é conhecido por diversos nomes populares em diferentes regiões do país. Esses nomes variam de acordo com as características locais e a cultura dos pescadores. O nome "Piquiti" é originário da língua tupi-guarani e significa "rio pequeno". Esse nome é comumente utilizado para se referir a essa espécie em algumas regiões do Centro-Oeste brasileiro, onde o Tucunaré Piquiti é encontrado em rios e afluentes menores.


Publicidade


Já o nome "Azul" é uma referência à coloração característica da espécie. Esse nome é utilizado em todo o país e é muito popular entre os pescadores esportivos. Além desses nomes, o Tucunaré Piquiti também é conhecido por outros nomes regionais, como: "Popoca", "Tucunaré Bandeira" e "Tucunaré da Amazônia". No Inglês ele é conhecido como englishnames. Em algumas regiões, o nome "Tucunaré Azul" é utilizado para se referir a outras espécies de Tucunaré, o que pode causar confusão entre os pescadores.


Habitat e Distribuição Geográfica


O Tucunaré Piquiti é uma espécie de peixe de água doce originária da América do Sul, encontrada em rios e lagos de diversas regiões do Brasil. Sua distribuição geográfica se estende desde o nordeste do país, passando pelo centro-oeste, sul e sudeste, até a bacia Amazônica e Solimões. Além do território brasileiro, o tucunaré azul é encontrado em países da amareica latina como: Colômbia, Venezuela e Guianas. Além disso, esse peixe também foi introduzido em áreas fora de seu habitat nativo, onde podemos citar a Flórida, Havaí, Porto Rico e Cingapura


Essa espécie habita ambientes de água doce, com águas claras e bem oxigenadas, com temperaturas entre 22°C e 30°C. É comum encontrá-los em rios e lagos da região do pantanal de águas rasas, com fundos de areia ou pedras, onde se escondem entre troncos e galhos submersos. O Tucunaré Azul também pode ser encontrado em represas, açudes e outros corpos d'água artificiais.


Alimentação e Comportamento


O Tucunaré Piquiti é um peixe carnívoro que se alimenta de diversos tipos de presas, como peixes como lambaris, tilápias, camarões, matrinxãs e outros tucunarés. Também pode se alimentar de caramujos, anfíbios, vermes, insetos aquáticos e pequenos crustáceos. Sua alimentação é bastante diversificada, o que faz com que essa espécie seja encontrada em diferentes ambientes de água doce. A rotina de alimentação do Tucunaré Azul é geralmente no período da manhã e no final da tarde. Nesse momento, em que a água está mais fria ele se aproxima das margens para se alimentar.


Publicidade


O comportamento do Tucunaré Piquiti é bastante peculiar, pois ele é considerado um peixe solitário e territorialista. Costuma se esconder entre troncos e galhos submersos, à espera de suas presas. Quando se alimenta, é comum que ele ataque suas presas com grande velocidade, surpreendendo suas presas com sua agilidade e força. Essa espécie também é conhecida por ser bastante ativa durante o dia, o que faz com que seja um alvo muito buscado pelos pescadores esportivos.


Reprodução


Período reprodutivo: O Tucunaré Piquiti não realiza migrações é um peixe que se reproduz durante o período de chuvas, que ocorre geralmente entre os meses de novembro e março. Durante esse período, os exemplares adultos se deslocam para as áreas rasas e vegetadas dos rios, onde constroem seus ninhos e iniciam o processo de reprodução. Durante o período de reprodução, o Tucunaré Piquiti pode se tornar ainda mais territorialista, defendendo seu território com grande agressividade.


Linho: Os ninhos do Tucunaré Piquiti são construídos em locais protegidos, como entre as raízes de árvores submersas, galhos e pedras. Eles são feitos pelos machos, que selecionam um local e iniciam a limpeza da área, removendo detritos e folhas que possam atrapalhar o desenvolvimento dos ovos.


Acasalamento: Depois de escolher o local para o ninho, o macho começa a cortejar as fêmeas, nadando ao redor delas e exibindo suas cores vivas e vibrantes. Quando a fêmea se aproxima do ninho, o macho a conduz para dentro dele, onde ela deposita os ovos.


Desova: Durante o processo de desova, a fêmea pode depositar de 2 a 4 mil ovos, que são fertilizados pelo macho. Após a desova, o macho fica responsável pela proteção dos ovos e dos filhotes, mantendo-os em seu ninho e afastando outros peixes que possam ameaçar a prole. Na natureza geralmente começam a desovar na seca (setembro) e continua até o final do período chuvoso (janeiro).

Tucunaré Azul - Cichla Piquiti
Tucunaré Azul - Cichla Piquiti. Fonte: @serradamesa.oficial (Instagram)

Incubação: O período de incubação dos ovos do Tucunaré Piquiti dura cerca de 7 a 8 dias, e após esse período, os filhotes começam a se desenvolver. Quando nascem, os filhotes possuem cerca de 4 a 6 mm de comprimento e se alimentam de zooplâncton e outros organismos microscópicos. À medida que crescem, passam a se alimentar de peixes menores e outros organismos maiores.


Ameaça de Extinção


O Tucunaré Piquiti é uma espécie de peixe que, assim como outras espécies de peixes de água doce no Brasil, sofre com a degradação do seu habitat natural e com a pesca predatória. Embora ainda não esteja oficialmente classificado como uma espécie ameaçada de extinção, o Tucunaré Piquiti corre o risco de entrar nessa lista caso não sejam tomadas medidas de conservação e manejo adequado dos estoques.


A principal ameaça ao Tucunaré Piquiti é a degradação dos seus habitats naturais, causada principalmente pela construção de barragens, desmatamento, assoreamento dos rios e uso de agrotóxicos nas lavouras próximas às áreas de ocorrência da espécie. Essas atividades impactam diretamente a qualidade da água, a disponibilidade de alimento e a oferta de locais adequados para a reprodução e crescimento dos indivíduos.


Publicidade


Além disso, a pesca predatória também representa uma ameaça para o Tucunaré Piquiti, uma vez que muitos pescadores utilizam técnicas ilegais e equipamentos proibidos, como redes de pesca e espinhéis, que capturam indiscriminadamente diversos peixes, incluindo espécies em fase de reprodução ou com tamanho inferior ao permitido por lei.


Conservação e Sustentabilidade


A conservação do Tucunaré Azul é fundamental para a manutenção da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos oferecidos pelos ecossistemas aquáticos onde a espécie ocorre. Para isso, é necessário adotar medidas que visem garantir a sustentabilidade da pesca, bem como a proteção e recuperação dos habitats naturais da espécie.


Entre as principais medidas de conservação do Tucunaré Piquiti, destaca-se a criação de áreas de proteção ambiental e unidades de conservação que assegurem a preservação dos ecossistemas aquáticos. Essas áreas podem ser utilizadas para a pesca esportiva ou como áreas de preservação integral, garantindo a manutenção da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos oferecidos pelos rios e lagos.


Além disso, é importante promover ações de recuperação e preservação dos habitats naturais do Tucunaré Piquiti, como a revitalização de rios e lagos degradados, a implantação de sistemas agroflorestais em áreas de preservação permanente e a utilização de técnicas de manejo sustentável da terra que evitem o uso excessivo de agrotóxicos e outros produtos químicos que possam contaminar as águas.


Outra medida importante é a adoção de práticas de pesca responsável, como a utilização de técnicas de pesca seletiva que evitem a captura de indivíduos em fase de reprodução ou com tamanho inferior ao permitido por lei. Além disso, é necessário respeitar as normas de pesca e os períodos de defeso, que são estabelecidos para garantir a preservação das espécies em épocas de reprodução e crescimento.


Por fim, é importante que haja uma conscientização da população sobre a importância da conservação dos recursos naturais e dos ecossistemas aquáticos, bem como a adoção de práticas de consumo consciente e sustentável. A escolha por produtos que sejam produzidos de forma sustentável e a utilização de produtos que tenham certificação ambiental podem contribuir para a preservação do Tucunaré Piquiti e de outras espécies de peixes de água doce no Brasil.


Onde Encontrá-lo


O Tucunaré Piquiti é uma espécie nativa de peixe de água doce que pode ser encontrada em diversas regiões do Brasil. Na região centro-oeste, o Tucunaré Piquiti é encontrado em rios como o Araguaia, Tocantins e seus afluentes, além de alguns lagos da região de Brasília, Mato Grosso e Goiás. Já na região sul, essa espécie é encontrada em rios e lagos do Paraná, Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. No sudeste, é possível encontrá-lo em rios, lagos e represas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.


Tucunaré Azul - Cichla Piquiti
Tucunaré Azul - Cichla Piquiti. Fonte: @jhonatanmonteir0 (Instagram)

Os melhores locais para pesca dessa espécie são Lago de Três Marias, Teodoro Sampaio, Epitácio, Lago do Peixe e Serra da Mesa. A melhor época para sua pesca é no início de setembro até final de fevereiro. Mas é comum pescar o Tucunaré Azul o ano inteiro.



Publicidade


Para os amantes da pesca esportiva, a região da Amazônia é um dos melhores lugares para encontrar o Tucunaré Piquiti, pois a espécie é muito abundante e pode ser capturada em grandes tamanhos. Além disso, a região oferece uma paisagem exuberante e uma grande diversidade de espécies de peixes e outras formas de vida aquática, tornando a experiência de pesca ainda mais gratificante. Na região amazônica, essa espécie é comum em rios como o Madeira, Tapajós e Xingu, além de outros afluentes da bacia amazônica.



Importância Econômica


O Tucunaté piquiti é muito valorizado pelos pescadores esportivos devido à sua força e resistência, além de sua beleza e tamanho, podendo chegar a pesar mais de 4 kg.

Além do valor recreativo, o tucunaré piquiti também possui importância econômica significativa. A pesca esportiva desse peixe atrai turistas de todo o mundo, que buscam desafios e aventuras em meio à natureza, movimentando a economia local. Esses turistas não apenas gastam com hospedagem, alimentação e transporte, mas também contratam guias locais e adquirem equipamentos de pesca e outros produtos relacionados.


Além disso, a criação em cativeiro do tucunaré piquiti também tem sido explorada como uma atividade econômica promissora. A produção comercial de alevinos e juvenis do peixe tem crescido nos últimos anos, atendendo tanto o mercado interno quanto o externo. O peixe é valorizado pela sua qualidade de carne e, por isso, é muito apreciado em restaurantes e mercados.


Alguns estudos apontam que a pesca esportiva do tucunaré piquiti movimenta milhões de reais por ano no Brasil, especialmente nas regiões do rio Paraná, onde o peixe é mais abundante. Além disso, a produção comercial em cativeiro do peixe tem gerado empregos e renda para muitas comunidades rurais, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico dessas regiões. Portanto, pode-se dizer que o tucunaré piquiti possui grande importância econômica, tanto para a pesca esportiva quanto para a produção comercial.


Gastronomia: Como a Espécie é Utilizada na Culinária?


O Tucunaré Azul é um peixe bastante saboroso e versátil na culinária., sua carne é branca, firme e delicada, com um sabor suave e levemente adocicado. Por isso, é muito apreciada em pratos de peixes assados, grelhados, fritos e cozidos. Alguns chefs de cozinha costumam utilizá-lo em preparações mais elaboradas, como em ceviches, tartares e sashimis.


Uma das formas mais tradicionais de preparo do tucunaré piquiti é assado na brasa, com temperos como limão, alho, azeite e ervas. O peixe também pode ser cozido em ensopados e moquecas, sendo servido com arroz e pirão. Outra preparação comum é o filé de tucunaré à milanesa, servido com batatas fritas e salada.


Publicidade


Alguns pratos regionais brasileiros que utilizam o tucunaré piquiti incluem o escondidinho de tucunaré, feito com purê de mandioca e recheado com o peixe, e a famosa piraputanga assada, um prato típico da região do Pantanal, que leva o peixe em um molho de ervas, acompanhado de arroz e feijão.


Dicas Para Pescar


O tucunaré piquiti é um peixe muito procurado pelos pescadores esportivos devido à sua força e resistência, além de sua beleza e tamanho. Se você pretende pescar esse peixe, aqui vão algumas dicas importantes:


Escolha o local certo: O tucunaré piquiti habita principalmente águas claras e de baixa correnteza, como lagos, represas e rios de água cristalina. Procure informações sobre os melhores pontos de pesca na região onde você está e tenha em mente que o peixe costuma ficar próximo a estruturas como pedras, troncos e galhadas.


Escolha o equipamento adequado: Para pescar o tucunaré piquiti, é recomendável utilizar equipamentos de pesca médios ou pesados com linhas de 20 a 30 libras.


Linha: A escolha da linha é igualmente importante e deve ser feita com atenção. Evite escolher linhas muito grossas e prefira as linhas de multifilamento, que são mais recomendadas. Se desejar, você pode usar o líder ou o shockleader para proteger a linha ao passar por estruturas. O líder deve ser feito de nylon ou fluorocarbono, com resistência igual ou superior à linha principal. Para obter um arremesso ainda melhor, você pode escolher linhas de multifilamento de quatro fios para iscas grandes e linhas de oito fios para iscas médias e pequenas.


Varas: As varas de pesca podem ter diferentes faixas de libragem, incluindo 10 a 20 libras e 12 a 25 libras, mas devem ter comprimento acima de 5'8" (1,75 metros) devido ao poder de fisgada dessas varas. Para usar libragens específicas, como 12, 14 ou 17, é recomendado optar por varas de ação média a rápida. Se o local de pesca for limpo ou houver dropoffs, pode ser possível usar varas com libragens menores. Os modelos de vara com comprimento acima de 6' garantem principalmente uma melhor fisgada e também permitem um arremesso mais longo e preciso.


Publicidade


Iscas artificiais: As iscas artificiais mais comuns para a pesca do tucunaré piquiti incluem plugs de superfície, meia-água e fundo, além de jigs com penacho, softbaits e os shads com jigs heads. As iscas de superfície podem ser mais emocionantes, pois permitem ver o ataque do Tucunaré Azul. Os modelos mais indicados são as iscas do tipo zara, pencil, poppers e hélices, sendo as iscas de superfície e meia-água mais utilizadas quando o peixe está ativo.


Iscas naturais: A pesca com iscas naturais também é uma opção, como o lambari e outras espécies de pequenos peixes.


Molinete e carretilha: a escolha entre molinete ou carretilha é geralmente uma questão de preferência pessoal. No entanto, é importante lembrar que a carretilha pode aumentar o desempenho do arremesso e também ser mais prática para o manuseio.


Tucunaré Azul - Cichla Piquiti
Tucunaré Azul - Cichla Piquiti. Fonte: @claudinhopessoa10 (Instagram)

Conheça os hábitos do peixe: O tucunaré piquiti é um peixe territorial e predador, que costuma atacar a isca com muita agressividade. Por isso, é importante conhecer seus hábitos de alimentação e comportamento, como os horários de maior atividade e as preferências alimentares.


Tenha paciência e persistência: A pesca do tucunaré piquiti pode exigir paciência e persistência, já que nem sempre o peixe está disposto a morder a isca. É importante escolher o momento certo e variar a técnica e a isca utilizadas até encontrar a combinação ideal.


Respeite as normas de pesca: Para garantir a preservação do ecossistema e a sustentabilidade da espécie, é fundamental respeitar as normas de pesca e capturar apenas o número permitido de peixes. Além disso, é importante seguir boas práticas de pesca, como o uso de anzóis sem farpa e a devolução do peixe ao seu habitat natural sempre que possível.


Lembre-se sempre de praticar a pesca esportiva de forma responsável e consciente, garantindo a preservação do meio ambiente e a continuidade do uso sustentável dos recursos naturais.


Publicidade


Você é um pescador esportivo apaixonado pelo desafio de capturar o Tucunaré Cichla Vazzoleri?


Então você sabe que para ter sucesso na pesca desse peixe lendário, é necessário contar com os melhores equipamentos e acessórios de pesca. Desde as iscas e anzóis até as varas e carretilhas, cada detalhe faz a diferença na hora de enfrentar o Tucunaré Cichla piquiti. Por isso, selecionamos alguns acessórios de pesca que vão ajudar a tornar sua experiência na água ainda mais divertida e bem-sucedida. Clique aqui.


Não deixe de deixar seu comentário abaixo para nos contar se estas informações foram úteis para você.



REFERÊNCIAS


RECHI, Edson. Tucunaré Azul (Cichla piquiti). Aquarismo Paulista. 2016. Disponível em: <http://www.aquarismopaulista.com/tucunare-cichla-piquiti/>. acesso em 01 mar. 2023.


Kullander, S.O. and E.J.G. Ferreira, 2006. A review of the South American cichlid genus Cichla, with descriptions of nine new species. Ichthyol. Explor. Freshwat. 17(4):289-398. (Ref. 57716).


VIERA, Otávio. TUCUNARÉ AZUL: DICAS DO COMPORTAMENTO E TÁTICAS DE PESCA DESSA ESPÉCIE. Pesca Gerais. 2020. Disponível em: <https://blog.pescagerais.com.br/tucunare-azul/>. Acesso em: 01 de mar. 2023.



1.464 visualizações0 comentário